INTOLERÂNCIA (LEGENDADO / 1080P) – 1916

INTOLERANCE: LOVE’S STRUGGLE THROUGHOUT THE AGES – 1916
EUA
DRAMA – HISTÓRICO
DIREÇÃO: D.W. Griffith
ROTEIRO: D.W. Griffith, Anita Loos
IMDb: 7,8 https://www.imdb.com/title/tt0006864/

BRRIP 1080P – LEGENDADO

Postado por ZELINO ANONIMO


Formato: MKV
Qualidade:
BRRip – MPEG4 Video (H264) 1920×1080 (4:3) 23.98fps
Tamanho:
2,06 GB
Duração:
168 min.
Legendas:
Português, Italiano, Espanhol – Separadas
Áudios:
Mudo (Fundo musical) – AAC 48000Hz stereo
Servidores:
Google Drive (3 partes RAR)
Uploader: ZELINO ANONIMO

PASTA COM OS ARQUIVOS: INTOLERÂNCIA

O épico de três horas e meia de duração apresenta quatro linhas narrativas emaranhadas ao longo de um período de 2 500 anos: a primeira é um “melodrama contemporâneo” envolvendo crime e redenção; a segunda é uma “história bíblico-galileia” mostrando a missão de Jesus e a sua morte; a terceira é uma “história renascentista francesa” com eventos antecedendo o massacre da noite de São Bartolomeu em 1572; a quarta é uma “história babilônica” à época da queda do Império babilônico perante os Persas em 539 a.C., na batalha de Opis. As cenas são ligadas por imagens de uma mulher a balançar um berço, representando a “maternidade eterna”.

Intolerância foi feito parcialmente em resposta às críticas ao filme anterior de Griffith, The Birth of a Nation, que foi acusado pela NAACP e por outros grupos de perpetuar estereótipos raciais e de glorificar a Ku Klux Klan.

A quantidade exata investida pelo diretor para fazer o filme é desconhecida, mas estima-se que ele tenha gasto cerca de 2,5 milhões de dólares, uma soma astronômica e sem precedentes na época. Mesmo assim, o filme não foi bem recebido pelas plateias e é considerado o primeiro grande fracasso do cinema.

Quatro lugares diferentes, quatro períodos históricos diferentes. Na Babilônia, uma garota se vê entre a rivalidade religiosa que leva uma cidade às ruínas. Em Judeia, os hipócritas condenam Jesus Cristo. Em 1571, em Paris, não sabendo do Massacre da Noite de São Bartolomeu, dois huguenotes se preparam para um casamento. Por último, na América moderna, reformistas sociais destroem a vida de uma mulher e do seu amado. O filme mostra quatro histórias que contam casos de intolerância nos Estados Unidos na época em que o filme foi realizado, sendo que as histórias são interligadas pela dramatização de um poema de Walt Whitman.

D.W. Griffith decidiu rodar este filme em resposta aos ataques que sofreu quando do lançamento de seu filme anterior, O Nascimento de uma Nação, de 1915. O diretor investiu mais de dois milhões de dólares para fazer o filme, uma quantia de dinheiro sem precedentes na época.

A intolerância é uma 1916 épica cinema mudo dirigido por DW Griffith . Legendas incluem Luta do amor Durante a Idade e A Sun-Play da Idade.

Amplamente considerado como uma das grandes obras-primas do cinema mudo (embora ele recebeu críticas mistas na época), o épico de três-e-um-meia hora intercala quatro histórias paralelas, cada uma separada por vários séculos: (1) um contemporâneo melodrama de crime e redenção, (2) uma história judaica: Cristo missão e morte’s, (3) uma história francesa: os eventos que cercam o massacre Dia de São Bartolomeu de 1572, e (4) uma história babilônica: a queda do o Império babilônico para a Pérsia em 539 aC. Cada história teve o seu próprio distintivo tonalidade de cor na impressão original, mas não nas versões atualmente disponíveis. As cenas estão ligados por tiros de uma figura que representa Eterno Maternidade, balançando um berço.

Intolerância foi feito, em parte, em resposta às críticas do filme anterior de Griffith, O Nascimento de uma Nação (1915), que foi criticado pela NAACP e outros grupos de perpetuar estereótipos raciais e glorificando a Ku Klux Klan . Não foi, no entanto, um pedido de desculpas, como Griffith sentiu que não tinha nada para se desculpar por; em inúmeras entrevistas, Griffith deixou claro que o título primordial e temas do filme foram feitos como uma resposta aos que ele sentia tinha sido intolerante com ele em condenando O Nascimento de uma Nação. Nos anos seguintes de seu lançamento, Intolerância iria influenciar fortemente os movimentos de filmes europeus. Em 1989, ele foi um dos primeiros filmes a ser selecionado para a preservação nos Estados Unidos National Film Registry pela Biblioteca do Congresso por ser “culturalmente, historicamente ou esteticamente significativas”.

“O que fará se Intolerância fracassar?” “Dirigir-me-ei para a costa de Jersey e procurarei um desses tubarões comedores de homens.” A pergunta é de Henry Stephen Gordon, para a revista Photoplay, e a resposta, oferecida com um sorriso malicioso, é claro, de David W. Griffith (1875-1948). Na entrevista disse mesmo que depois deste não faria mais filmes e que tencionava regressar ao teatro (antes de se dedicar ao cinema, tinha sido dramaturgo e ator).

Recordemos, até para perceber com clareza o tom das palavras, que por essa altura Griffith ainda vivia o rescaldo do estrondoso sucesso de O Nascimento de Uma Nação (1915), de alguma maneira manchada pela polêmica em torno das suas alusões racistas (indícios que se reforçavam pelas origens sulistas do realizador), e Intolerância eclodia assim na medida de uma resposta à nuvem cinzenta que se abatera sobre esse primeiro acontecimento cinematográfico.

Escusado será dizer que o anúncio da desistência deste homem autodidata não se expressou na realidade dos factos, tendo acrescentado à sua filmografia – então já com mais de 480 títulos, quase todos dos estúdios Biograph – cerca de uma vintena de longas-metragens. Entre elas, esse magnífico objeto que é O Lírio Quebrado (1919), o ponto mais alto das colaborações com a atriz Lillian Gish (1893-1993).

Lillian Gish … The Woman Who Rocks the Cradle / Eternal Mother
Mae Marsh … The Dear One
Robert Harron … The Boy
F.A. Turner … The Dear One’s Father (as Fred Turner)

 

5 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. obrigado!

  2. Filme novinho. Só tem 104 anos.

    1. Boa. Haha

  3. Boa tarde ZELINO ANONIMO Obrigado pelo post. vou baixar para matar a curiosidade pq. adoro filmes antigos
    Abs…

  4. Obrigado a todos.

Deixe uma resposta